Aliança terapêutica

Freud tinha certeza de que era muito difícil que seus pacientes fossem capazes de se abrir, se não houvesse uma relação adequada.

Greenson, em 1978, deu o nome de “aliança de trabalho”, onde não existe conflito racional entre médico e paciente. Nela, pode-se esperar que o paciente colabore com seu médico de tal forma que fica muito mais fácil a abordagem do transtorno.

O que se sabe é que a relação que esse paciente tem com seus pais ditará a forma com ele se relaciona com seu psiquiatra.

Milhares de pesquisas foram feitas em torno desse assunto, uma em específica, realizada em 2012 por Fluckiger, vale uma atenção especial.

Nela, estudou-se mais de 200 depoimentos, de mais de 14 mil tratamentos, e o que se descobriu foi: pacientes que tinham uma boa relação com seus terapeutas tinham resultados muito mais positivos. Isso, independentemente do tipo de doença apresentada.

Essa pesquisa estende-se à toda área da psiquiatria, onde a aliança terapêutica é o fator fundamental para que haja sucesso na manutenção e na finalização de qualquer tratamento. E mais, ela precisa ser estabelecida desde o início.

Não necessariamente é preciso usar de transferência positiva para que os sentimentos negativos possam ser exteriorizados. O que o psiquiatra precisa é entender quais são os objetivos que o paciente quer atingir, para que assim, possa o direcionar no caminho certo.

Então, o que é necessário é fazer com que o paciente entenda que somos colaboradores e não estamos contra eles.

Haverá situações em que estabelecer essa aliança será muito mais complexo. No entanto, é fundamental essa conquista terapêutica, pois o paciente precisa entender que ambos têm objetivos comuns.

Garantia de sigilo profissional, ambiente calmo e receptivo, escuta capaz de compreender o sofrimento do paciente, empatia e capacidade de se ter e manter um conversa franca sobre o tratamento são condições fundamentais para uma aliança terapêutica.

Dr Antonio Viola

Dr Antonio Viola

Médico psiquiatra e psicanalista, graduado em Medicina pela Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina), residência médica em Psiquiatria no Hospital do Servidor estadual de São Paulo (IAMSPE) e formado em Psicanálise para Psicoterapeutas pelo Centro de Estudos Paulista.

Read More